Percorra o mundo e conheça os seus templos mais espetaculares, em lugares incríveis

Ambiente e misticismo que envolvem estes lugares sagrados

0 comentários

Quando nos tornamos viajantes, não viajamos apenas para ver coisas, precisamos também de sentir experiências e dos nos deixarmos envolver pela cultura dos lugares onde nos encontramos. Parte dessa cultura são as diferentes religiões, que trouxeram até nós lugares maravilhosos como aqueles que hoje vamos descobrir. Independentemente das suas crenças ou religião, temos a certeza de que não ficará indiferente a estes templos. Aconselhamos que se deixe levar pelo ambiente e misticismo que envolvem estes lugares sagrados e que tente imitar os crentes nos seus rituais… Nunca se sabe que divindade poderá vir a conceder-lhe os seus desejos!

Angkor Wat (Siem Reap – Camboja): Originalmente hinduísta, é o maior templo daqueles que integram o complexo construído na zona de Angkor. Foi declarado Património da Humanidade em 1992 e desde então a sua popularidade tem aumentado, também devido a ser possível poder circular livremente por todo o templo. As alturas ideias para capturar as melhores fotografias são o nascer e o pôr-do-sol, alturas nas quais a luz é refletida nos seus edifícios.

Angkor Wat

Angkor Wat

Templo do Céu (Pequim, China): Também conhecido como Tian Tian, é um conjunto edifícios construídos pela dinastia Ming. Este lugar sagrado representava a união do céu com a terra, onde se orava por boas colheitas. Foi declarado Património da Humanidade pela UNESCO em 1998.  Destaque para os telhados cobertos de telhas azuis-escuras em todos os edifícios, símbolo do céu, e uma estrutura circular, de madeira pintada, com três pisos, construída sem o uso de vigas.

Pagode de Shwedagon (Rangum, Myanmar): É um dos lugares mais sagrados para os budistas. A sua cúpula encontra-se adornada com ouro, diamantes e rubis doados pelo povo birmanês. É tradição despejar água sobre uma imagem de Buda tantas vezes quantos os anos de idade de quem o faz. A lenda reza que dois irmãos, em viagem, conheceram Buda, tendo regressado com 8 dos seus cabelos, que lhe tinham pedido para, no regresso, trazerem consigo algo que pudessem venerar. Estes cabelos, colocados juntos de outras relíquias, deram lugar a grandes milagres, motivo pelo qual foi construído o templo. Aqui, as regras a seguir por parte dos visitantes são apertadas.

Pagode de Shwedagon

Pagode de Shwedagon

Paro Taktsang (Butão, Himalaias): Situado numa falésia 1.000 acima do vale sagrado de Paro, o “Ninho do Tigre”, como também é conhecido, consiste num complexo de edifícios budistas, dedicado à oração e meditação, composto por um mosteiro, templos e cavernas. É complicado chegar até aqui, dado que o caminho apenas pode ser feito a pé ou de mula, mas a recompensa vale a pena.

Mesquita Azul (Istambul, Turquia): Uma das mesquitas mais conhecidas do mundo e um importante templo do Islão. A sua silhueta é facilmente reconhecível, com 6 minaretes e uma cúpula de 43 metros de altura. Todo o seu exterior se encontra decorado com mais de 20.000 azulejos de Iznik, de tons azulados, que lhe dão o nome. Normas: entrar descalço e as mulheres, de cabeça coberta.

Mesquita Azul

Mesquita Azul

Catedral de São Basílio (Moscovo, Rússia): Religião Ortodoxa. É um tos templos mais coloridos do mundo. No seu interior, existem 9 igrejas dedicadas a outros tantos santos, independentes até à construção de uma torre central para unir tudo. Para os românticos… É a imagem de entrada do Tetris.

Wat Rong Khun (Chiang Rai, Tailândia): De construção iniciada em 1997, é um dos templos hinduístas e budistas mais modernos. Podemos encontrar no seu exterior uma multidão de detalhes, onde a cor branca representa a pureza e o cristal, a sabedoria de Buda. Para chegarmos à sua estrutura central, temos de atravessar uma ponte decorada com figuras que simbolizam o sofrimento terreno. No seu interior, podemos encontrar imagens decoradas com ouro, bem como murais do Batman, Super-Homem, Doraemon ou The Matrix… Curioso!

Wat Rong Khun

Wat Rong Khun

Escreva seu comentário

0 Comentários

O que você acha?